Não separo o Amor da sexualidade…



Sem amor a sexualidade é meramente mecânica, inferior e não acredito no prazer pelo prazer sem a dimensão da alma nem de uma consciência cósmica.

Será o amor uma coisa da mente?

Ele é uma coisa da mente quando as coisas da mente preenchem o coração. Preenchemos nosso coração com coisas da mente, que são opiniões, ideias, preconceitos, visões distorcidas da realidade, sensações, crenças e acabamos vivendo e amando essas coisas. O amor só pode ser vivenciado quando estamos sereno, calmo, dando permissão ao coração para sentir o amor. Infelizmente, muitos associam amar com ciúme, com ambição, posse do outro, busca desesperada pelo desejo e não há dúvida que quando essas coisas existem não há o amor presente, mas apenas um pensamento sobre o amor.

Não temos que nos preocupar com o amor, que vem à existência naturalmente, sem nenhum esforço no sentido de buscá-lo, de encontrá-lo, ele simplesmente está dentro de cada ser humano, basta permiti-lo aflorar a superfície da consciência. O amor é a resposta para aquietar, serenar nossa mente, reduzir nossa ansiedade e entender nossa solidão, que não é algo tão ruim quanto popularmente se fala.

Só é possível pensar e viver livre e com plenitude e inteligentemente, quando há um autoconhecimento cada vez mais profundo e amplo, como disse um dos maiores sábios que foi Sócrates. Precisamos aprender a resgatar o que perdemos há muito tempo, a integração plena: corpo, mente e espírito.

Amar autenticamente é promover a integração. Apenas o amor e o pensar farão a verdadeira revolução, a revolução interior.

Cada um de nós é absolutamente único e uma possibilidade no mundo. Cada um temos a nossa história a ser construída, o nosso caminho. Cada um de nós, somos responsáveis pelo nosso próprio desenvolvimento e auto realização. É a partir daí que encontramos com o outro e vamos construir junto dele. Devemos querer o outro não para nos preencher, nos fazer feliz. A cura da paixão se situa num trabalho emocional em que eu exista cada vez mais como eu. Há um autor da Gestalt, que diz “eu sou eu e você é você”. Na verdade, a cura para paixão é o verdadeiro amor.

Gosto muito, para figurarmos o quanto é complicado fechar as arestas da compreensão do amor e do sexo, a música “Amor e Sexo” – Rita Lee


Amor e Sexo

Rita Lee

Composição: Rita Lee / Roberto de Carvalho / Arnaldo Jabor

Amor é um livro

Sexo é esporte

Sexo é escolha

Amor é sorte...

Amor é pensamento

Teorema

Amor é novela

Sexo é cinema..


Sexo é imaginação

Fantasia

Amor é prosa

Sexo é poesia...


O amor nos torna

Patéticos

Sexo é uma selva

De epiléticos...


Amor é cristão

Sexo é pagão

Amor é latifúndio

Sexo é invasão

Amor é divino

Sexo é animal

Amor é bossa nova

Sexo é carnaval

Oh! Oh! Uh!


Amor é para sempre

Sexo também

Sexo é do bom

Amor é do bem...


Amor sem sexo

É amizade

Sexo sem amor

É vontade...


Amor é um

Sexo é dois

Sexo antes

Amor depois...


Sexo vem dos outros

E vai embora

Amor vem de nós

E demora...


Amor é cristão

Sexo é pagão

Amor é latifúndio

Sexo é invasão

Amor é divino

Sexo é animal

Amor é bossa nova

Sexo é carnaval

Oh! Oh! Oh!


Amor é isso

Sexo é aquilo

E coisa e tal!

E tal e coisa!

Uh! Uh! Uh!

Ai o amor!

Hum! O sexo!




Andrea Naves Müller

1 visualização
Contado da Cris
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco

ATENÇÃO

Todos os serviços e produtos oferecidos pelos participantes da rede BRIDGET'S BRASIL, são de inteira responsabilidade dos mesmos.

Alphaville  - SP - Brasil

brasilbridgets@gmail.com